quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Compartilhando - Livros infanto-juvenis Afro-brasileiros!!


Uma amiga do Portal nos enviou uma pergunta curiosa, e em seu relato ela nos contava que ia as livrarias e não sabia quais autores e títulos que deveria procurar.
Fizemos uma pesquisa e achamos uma preciosidade realizado por Angela Ramos, professora do Ensino Fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro e tutora a distância no curso de Licenciatura em Pedagogia (UNIRIO). Mestre em Educação pela UNIRIO, em seu blog que se chama Compartilhando Leituras.
Neste blog ela faz pequanas resenhas da literatura infanto-juvenil e nos ajuda a trilhar um caminho para a construção do conhecimento como ela mesmo diz:
"A lei 10.639/03 destaca a literatura como um dos caminhos para a construção de conhecimentos sobre história da África e dos africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra e o negro na formação da sociedade brasileira. Temos aqui o objetivo de contribuir com sugestões de livros infanto-juvenis que apresentem narrativas de culturas africanas e ou protagonistas negros. Estas histórias devem estar presentes no cotidiano escolar sendo lidas e disponibilizadas como outras tantas."

Selecionamos aqui algumas de suas indicações e lá no blog você encontrará muito mais material.
Vale a pena!

gato

Mestre gato e comadre onça

Recontada e ilustrada por Carolina Cunha - Ed. SM
Nesta fábula afro-brasileira, o gato é um mestre de capoeira respeitadíssimo na floresta e se propõe a ensinar esta luta a outros animais para que possam se defender, principalmente, da onça. No entanto, para espanto de todos, até a onça procura o mestre para aprender capoeira. Só que as intenções da onça não se restringiam ao aprendizado. Ela queria mais. Pretendia matar a sua fome, pois caçar andava difícil por aquelas bandas. A proposta inclusiva da capoeira está presente em vários momentos desta história. Sendo assim, a onça foi aceita para as aulas. A autora nos conta sobre as aulas do mestre gato, o aprendizado dos alunos, incluindo seu maior desafio, a onça. Como ler esta história sem ficar com vontade de descobrir quem venceu? A história pode ser lida em capítulos. Cada aula que termina, uma nova expectativa. Além das letras de cantigas de capoeira que são transcritas na narrativa, o livro traz também um CD

 Vestido Jamela

O vestido de Jamela

Escrito e ilustrado por Niki Daly - Tradução Luciano Machado - Editora SM / Mais uma vez, a personagem Jamela protagoniza uma situação que deixa sua mãe triste e a menina precisa de uma solução rápida. Afinal, sua mãe comprou um lindo tecido para fazer um vestido para ir ao casamento de uma amiga. Mas Jamela, enquanto tomava conta do vestido no varal, se encantou tanto que acabou se deixando levar pela imaginação e saiu às ruas desfilando com o tecido. E o que fazer quando volta para casa com o tecido sem condições de virar um vestido? O que fazer diante da tristeza da mãe? Que solução aparecerá? O livro traz o colorido das roupas africanas e as ações das pessoas evidenciam a valorização da solidariedade, a preocupação com o bem-estar do outro.

digitalizar0005

 Luana: as sementes de Zumbi

Escrito por Aroldo Macedo e Oswaldo Faustino. Ilustrado por Mingo de Souza. Ed. FTD. Desta vez, Luana, após ouvir o som do berimbau, viaja através do tempo e vai ao Quilombo dos Palmares. Lá, conhece um pouco da história e da vida cotidiana num Quilombo(trabalho, comércio, tradição oral, música, dança etc...) Passa a conhecer também um pouco sobre o herói e líder Zumbi, seus ascendentes e descendentes. Os autores colocam na ficção boa parte do que a história conta sobre O Quilombo dos Palmares e que nem sempre os alunos estudam na escola. O livro traz, portanto, uma história de luta e resistência procurando mostrar o quanto que as "sementes" deixadas por Zumbi e outros guerreiros são tesouros que fortalecem as lutas pelos direitos da população negra e pela liberdade de fato.

 digitalizar0004

Escola de Chuva

Escrito e ilustrado por James Rumford.Editora: Brinque-Book. Imaginemos crianças que queiram aprender a ler e a escrever, mas que antes disso precisem construir a escola. Sim. Esta a história vivida por Tomás e sua primeira lição ao chegar à escola é sobre o valor do trabalho coletivo. Não como discurso, mas como primeira ação do grupo. Um grupo que se move pelo desejo de aprender e de ensinar.

Reizinho

Os Reizinhos do Congo

Escrito por: Edimilson de Almeida Pereira - Ilustração: Graça Lima O livro é composto por duas histórias: Reizinho de Congo e Rainha-menina. Por meio delas o autor procura mostrar um pouco da história das congadas, festa que, em meio ao sofrimento da escravidão, os escravizados celebravam os ancestrais. O texto traz o ritmo das palavras entoadas no festejo onde histórias inventadas se misturam à narrativa. O autor evidencia também o respeito às tradições e aos mais velhos. É ler e sentir vontade de ver o cortejo passar. Para quem tem acesso ao DVDescola que foi enviado pelo MEC a várias escolas públicas, é possível fazer um trabalho utilizando o livro físico e livro animado produzido pelo FUTURA, dentro do projeto "A cor da Cultura."

 a princesa e a ervilha

A princesa e a ervilha

Recontada e ilustrada por Rachel Isadora - Ed. Farol-DCL
Imaginem o clássico "A princesa e a ervilha", de Hans Christian Andersen, sendo vivido num país africano! Pois é exatamente isso o que a autora nos proporciona: viver essa narrativa com uma ilustração que mostra vestimentas e acessórios típicos do continente africano. As personagens são negras com diferentes tons de pele. E como o príncipe passa por vários lugares, a diversidade cultural está presente nas imagens. A autora aproveitou também para mostrar o cumprimento "olá" em três línguas africanas diferentes. O livro traz assim, um pouco da grande diversidade que podemos encontrar no continente africano.

 Madiba

Madiba

Escrito por Rogério Andrade Barbosa e ilustrado por Alarcão - Ed. Cortez De forma resumida, o autor fala sobre a infância, a família, a escola,a liderança, a prisão, a liberdade e a presidência de Nelson Mandela. Embora seja resumida, alguns detalhes que podem ser considerados importantes, não fugiram ao escritor e nem ao ilustrador. Muito bom para que as crianças possam conhecer um pouco desse líder político, carismático, conhecido no mundo inteiro. Um exemplo de vida e de luta.

 digitalizar0001

Tequinho e o ensaio da bateria

O livro fala de um menino que frequenta o mundo do samba e participa da bateria mirim. Mostra as exigências de saber respeitar regras e ser bom aluno na escola para continuar a fazer parte da bateria.
Não é difícil encontrarmos meninos e meninas, que assim como Tequinho, fazem parte efetivamente de alas de escolas de samba.
O livro também fala sobre a organização dos instrumentos e traz uma pequena definição, com ilustração, sobre cada instrumento da bateria classificando-os em leves e pesados.

 Flora

Flora

Escrito por Bartolomeu Campos de Queirós - Ilustrações: Ellen Pestili
Flora é uma menina que vive muito próxima da natureza procurando conhecê-la e decifrá-la. Ao mesmo tempo em que procura cuidar da natureza, observa todo o seu movimento e suas transformações. Sua maior paixão é pelas sementes. Ela olha cada grão procurando adivinhar o que virá depois.
O que para muitos pode parecer ser uma simples semente, o grande e saudoso Bartolomeu transforma em poesia. Através de Flora, ele fala da dedicação da terra para dar vida às sementes e a coragem dessas para apodrecer e dar origem ao fruto.
Cada vez que se lê é possível perceber a profundidade e ao mesmo tempo a delicadeza com que o autor nos faz pensar sobre a vida contida em cada semente e na cumplicidade e harmonia de vários elementos da natureza.
As imagens do livro resultam do trabalho belíssimo da ilustradora que utilizou a técnica de colagem sobre madeira.
A delicadeza e a sensibilidade de Flora estão expressas também nas ilustrações.

 O mapa

O mapa

O mapa: máscaras africanas
Texto e Ilustrações de Marilda Castanha Ed. Dimensão
A história começa em uma aula de Artes na qual a personagem, ao ver o contorno de seu corpo feito por um colega, vai imaginando-o como um novo continente e, de início, guarda segredo temendo a possibilidade de exploração e colonização.
Cada parte do corpo que vai sendo acrescentada é relacionada a uma característica da geografia física do continente.
Ao descobrir nos livros a existência de um continente como o seu, até então imaginário, a personagem o identifica como continente africano.
A descoberta do continente, até então individual, passa a ser coletiva a partir da confecção de máscaras para uma festa onde as máscaras compradas prontas são trocadas por máscaras produzidas pelos alunos.
As ilustrações e o texto impresso nos trazem um pouco da rica diversidade do continente africano.
O livro oferece várias possibilidades de ampliação em diferentes áreas do conhecimento: história, geografia, artes.
No final há um pequeno texto sobre as máscaras africanas que têm usos bem diferentes das que são usadas no ocidente.

 Tanto Tanto

Tanto, Tanto!

Escrito por Trish Cooke e ilustradso por Helen Oxenbury - Ed. Ática
Uma história cumulativa na qual os membros de uma família vão chegando aos poucos para uma comemoração de aniversário.
Como personagem principal há um bebê que recebe o carinho dos familiares que vão chegando, pois todos gostam dele "tanto, tanto!"
A cada "toque" de campainha há uma expectativa das crianças que ouvem a história tentando adivinhar quem vai chegar.
É uma história que costuma agradar muito as crianças da Educação Infantil. Eles não só gostam de ouvir quanto adoram pegar o livro para recontar a história.
As ilustrações também atraem muito. São grandes e com muito
 Angela
Você encontra mais títulos e resenhas em Compartilhando Leituras

2 comentários:

  1. Por favor como se escreve (madiba vive) em xhosa

    ResponderExcluir
  2. Por favor como se escreve (madiba vive) em xhosa

    ResponderExcluir